Canal de notícias

Os cuidados com o transporte de combustível.

O consumo de combustível dos equipamentos de construção é elevadíssimo. Isso ocorre independentemente do porte das máquinas em operação, mas também devido à intensidade de trabalho nos canteiros aos quais elas são submetidas. O trabalho contínuo de uma retroescavadeira, por exemplo, consome uma média de cinco litros/hora de óleo diesel, enquanto o consumo duma escavadeira hidráulica chega a ser de até 15 litros nesse mesmo período de operação. Com variações dessa magnitude, o abastecimento desses “gigantes” é uma tarefa desafiadora, que requer muita atenção e cuidado, principalmente com o transporte desse combustível.

Grande parte das empresas prestadoras de serviço de terraplenagem, ou locadoras de equipamentos, não dispõe de um caminhão-comboio (veículo próprio para o transporte de líquidos inflamáveis) para levar o combustível até o canteiro e, como se trata duma tarefa indispensável para o andamento de qualquer projeto, muitas vezes a realiza de maneira inapropriada.

A falta de estrutura, e até mesmo de informação, faz com que muitas empresas levem o combustível até os canteiros em caçambas de picapes, armazenado em barris. Essa prática é relativamente comum, porém, extremamente nociva ao óleo diesel transportado, pois este fica sujeito a inúmeras intempéries, como poeira e umidade, que podem contaminá-lo e futuramente comprometer o rendimento do equipamento.

As vantagens dos caminhões-comboio vão muito além de proteger o material transportado. A utilização apropriada desses veículos facilita o controle da quantidade de combustível consumido pelos equipamentos. Além disso, essa prática permite realizar a lubrificação dos componentes durante o abastecimento. Esses caminhões dispõem ainda dum reservatório para o armazenamento do óleo usado, para que ele seja retirado da máquina, levado de volta à oficina e encaminhado ao descarte correto.

Para realizar o abastecimento das máquinas – geralmente no próprio canteiro, uma vez a cada dois dias, dependendo das condições de trabalho a que elas são submetidas – é necessário transportar ao local, em média, 300 litros de óleo diesel por equipamento.

A não utilização do caminhão-comboio obriga as empresas a portar diversos documentos que comprovem que o veículo transportador segue as normas estabelecidas pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), que regulamenta o transporte de produtos considerados perigosos. Não atender às normas pode ocasionar multas, apreensão do veículo e até indiciamento do condutor.

Para estar dentro da lei é necessário atender a uma série de requisitos, tanto em relação ao veículo, quanto ao que se refere ao material transportado. O motorista também deve ter consigo o documento original que comprove a realização do curso MOPP – (Movimentação e Operação de Produtos Perigosos), conforme o modelo regulamentado pelo Contran – (Conselho Nacional de Trânsito). Deve-se também obter uma licença ambiental, emitida pelo órgão de meio ambiente responsável pelo trecho a ser percorrido.

Transportar o combustível de forma correta garante também que não haja desperdícios durante a sua locomoção, pois muitas vezes os tonéis nos quais ele é armazenado podem não estar devidamente vedados e, com isso, haver o derramamento de parte do material durante a locomoção, o que causa um prejuízo muito grande, inclusive para o meio ambiente.
Voltar

Encontre sua notícia


Acompanhe nossas notícias

Seja um agregado

Faça seu cadastro agora Estamos contratando.

Selo Selo

© 2017. TRANSAC. Todos os Direitos Reservados. | Desenvolvido por: Cliecom Marketing Digital.